Em um ano tempestivo, alguns dias de sol surgiram






CORINTHIANS x INTERNACIONAL - 19/04/2017
ARENA CORINTHIANS
QUARTA RODADA DA COPA DO BRASIL


Sabe aquela velha frase: “Nossa parece até que ganharam um campeonato!”, ela é usada quando uma torcida comemora com muito calor uma vitória ou até mesmo um fracasso de seu rival. Aqui no sul é assim e eu por várias vezes já ouvi, só que neste ano, a frase ganhou um gostinho especial e foi no dia 19 de abril de 2017, quando calamos a boca de muitos, desclassificando o agora Heptacampeão Corinthians na Copa do Brasil. Essa quarta-feira entrará para a minha lista de “Jogos Inesquecíveis” e ficará marcada pelo sentimento de revanche que invadiu e transbordou por todo o meu corpo.
    
Inter e Corinthians já haviam se enfrentado no dia 12 de abril, no Beira Rio, e o primeiro jogo deste confronto terminou empatado em 1 a 1. Os gols da partida ficaram por conta de Romero aos 53 minutos e Dourado, aos 57.
Algo me dizia que o jogo da volta seria frenético, e foi! Naquela quarta passei o dia inteiro tensa, quando queria relaxar e pensar em outra coisa, bastava abrir os app’s de mensagens ou as redes sociais, que a tensão e a expectativa voltavam. Quando a noite chegou e eu finalmente sentei no sofá, lembro de resmungar comigo mesmo “Seja o que DEUS quiser”.


Logo no início da partida, o alvinegro que tinha a vantagem de empatar sem gols, abriu o placar. Minha reação foi das piores, coloquei a mão na boca e dali saíram alguns palavrões baixinhos, disfarçados para que minha filha não ouvisse, foi como levar um balde de água fria! CARACA aos 7 minutos... Porém, o Inter não baixou a cabeça, isso me fez voltar para o jogo e ACREDITAR que poderíamos ainda assim vencer. E a partida foi desenrolando com o Corinthians jogando por um contra-ataque e nós colorados,  com a posse da bola, tentando furar a retranca. O cenário do segundo tempo se mostrava o mesmo e aos 26 minutos o gol gaúcho enfim saiu. Brenner cabeceou forte, Cássio deu o rebote, Nico Lopez aproveitou batendo forte, Fagner ainda tentou tirar a bola e acabou marcando contra.
Os minutos finais foram angustiantes, meu coração parecia estar em uma montanha-russa. Quando os pênaltis chegaram eu já estava exausta, rouca, mas lembro de renovar as energias ao ver os goleiros se dirigindo à meta, Cássio concentrado com a cabeça baixa e Marcelo Lomba de cabeça erguida com os braços abertos, totalmente entregue à sua oração.



O Inter começou batendo, Brenner abriu o placar. Do outro lado, Jackson também converteu. Tudo certo até ali e eu andando de um lado para o outro em minha sala. Enquanto isso, Willian sob forte vaia errou a penalidade batendo para fora. Maycon foi para a marca do pênalti, escolheu um canto, bateu e Lomba pegou. Voltamos com Valdívia, que chutou forte no canto e fez o seu, Jô por sua vez, tomou distância e também marcou. Até agora estava tudo igual: 2 x 2. Cuesta sem perder tempo, sentou o pé e garantiu mais um, Marquinhos Gabriel tentou e esbarrou nos pés do goleiro Lomba. As coisas começavam a brilhar, eu enlouquecida já não conseguia ficar apenas na sala, estava do lado de fora aos gritos, quando Leo Ortiz errou. Nossa, essa noite parecia não ter fim! Fagner entrou com a chance de empatar a partida e marcou, dando sequência aos pênaltis. Credo, quantos estavam acompanhando esse jogo naquela noite, quanta luta naquela Arena...
Anselmo se apresentou, deu uma paradinha e converteu virando o jogo para os Colorados. Arana foi para a disputa e com seu chute para fora, jogou a vaga para o alto. A partir daí, nenhum vizinho pôde dormir mais, pois a única coisa que saia de minha boca era:




CHUPA CORINTHIANS
AQUI É INTER
O MAIOR DO SUL
KIBIBIURURURU!



Que sensação gostosa eu pude sentir! Poxa vida, meu time desmoralizado pelo rebaixamento, pode finalmente mostrar que é GIGANTE e que sempre vai ser, ande por onde andar!
Obrigada Sport Club Internacional por proporcionar a nós torcedores momentos únicos como este, afinal em meio a uma tempestade tivemos um lindo dia de sol.


Pelear sempre, este é o lema colorado e com ele vou vivendo meus dias...
Texto  enviado Por Alice Bernardo, colorada apaixonada!





Comentários