D'Alessandro não cobra 'caráter' dos jogadores do Internacional , e sim diz "Temos que bater no peito, ter caráter e assumir o momento no clube"!

Capitão D'Alessandro cobra 'caráter' do elenco do Internacional


O começo do Internacional na temporada tem se desenhado tão decepcionante quanto o desfecho de 2016. Ainda sentindo as dores do rebaixamento, a torcida não tem nada para se orgulhar nas apresentações recentes do time e o capitão Andrés D'Alessandro compartilha do mesmo desapontamento. O meia argentino declarou, nesta terça-feira, que a equipe tem que admitir o mau momento e mostrar mais garra.

"Temos que bater no peito, ter caráter e assumir o momento no clube. Precisamos mostrar vontade no campo. Nosso primeiro tempo no jogo passado (derrota para o Novo Hamburgo) foi muito passivo. Não queremos isso. O caminho não é esse, e sim o do Veranópolis (empate em 1 a 1), o do Brasil de Pelotas (vitória por 2 a 1), o segundo tempo com o Novo Hamburgo, mas temos que assumir esta situação que estamos hoje", avaliou o argentino. "O torcedor ficou muito chateado por 2016 e precisa de resultado", completou.
Disposto a ajudar o time neste ano de recuperação, o jogador vive uma espécie de batalha contra o relógio. Aos 35 anos, D'Alessandro sabe que não terá muito mais tempo de carreira e espera se doar ao máximo no tempo que lhe resta.
"O futebol tem vida útil. Quando você passa dos 30, o chamam de velho. Já me chamaram várias vezes de velho, mas me esforço muito. Ano passado enfrentei um futebol muito mais físico. Me esforcei ao máximo lá e fui titular. Não imaginava. Voltei ao River para brigar por uma vaga. Em uma competição sadia com caras de 17, 18, 19 anos, eu joguei", explicou o atleta, relembrando o ano de 2016, em que defendeu o River Plate, por empréstimo.
Um dos maiores ídolos da história colorada, D'Alessandro reconhece sua identificação com a torcida e sabe que os torcedores do Inter tem uma série de motivos para não estarem satisfeitos. No entanto, ele ressaltou a qualidade do elenco e relembrou que o trabalho está no começo.
"O clube está em processo de reestruturação. Temos que nos levantar. O torcedor precisa ter paciência. As coisas ficaram muito feias ano passado. Quem entrou, achou um clube fora do normal. As coisas não estão bem. Peço que o torcedor nos apoie porque faremos de tudo para cumprir o objetivo", exaltou.
Fonte: espn.uol

Comentários