Gigante da Beira Rio. 47 anos. Gigante para Sempre.





Se um estádio pudesse falar, com certeza histórias jamais faltariam. Há quem diga que é feito apenas de concreto, porém acredito ao contrário, tudo, menos concreto bruto. Nas cadeiras vazias pulsam as lembranças de Vicente Rau, ao teu redor pairam a fumaça das Ruas de Fogo, em teu solo verde, ainda resfria as chuteiras de Bodinho, Dom Elias e Falcão. A tua rede ainda tribula após as eternas cabeçadas de Figueroa e Fernandão. Ainda escuto o 'Vamo Vamo Inter' naquele verão de 2006. Alguns sobreviveram a guerras, outros são místicos por natureza, porém só um foi construído sobre um rio com as mãos de singelos negros,brancos,homens,mulheres, enfim românticos colorados. 'É teu passado alvi rubro' substituir o saudoso Eucaliptos, sede da Copa de 1950. 'Motivos de festa' nas arquibancadas, no gol iluminado, no tri invicto em 79. ' O teu presente' viu o jogo do século em 72 entre a República Rio Grandense x Brasil. Presenciou também a melancólica década de 90. E principalmente o século XXI. Sempre 'trazendo alegrias' como foste ao longo dos anos. O teu futuro viraste o Campeão de Tudo, o imponente Gigante da Copa de 2014. Moderno como nunca, Gigante como sempre. Se em 2006 conquistamos o mundo no Japão, não há dúvidas que foi em 6 de Abril de 1969 que foi dado o primeiro passo. Gigante da Beira Rio. 47 anos. Gigante para Sempre.

Renan Souza Dos Santos 




Comentários