William é o novo alvo da frustração gremista

William é o novo alvo da frustração gremista






Wesley Sants/Gazeta Press
Pela lesão provocada em Miller Bolaños, William virou alvo da frustração gremista

Tudo começou num lance desleal. Numa disputa de bola sem maiores consequências, o jogador de vermelho acerta o adversário de forma inconsequente e causa uma lesão que tira o adversário, grande astro do time, não apenas da partida em questão como também das próximas. A revolta é geral. Torcedores do time adversário elegem o agressor como o culpado por todos os problemas enfrentados pela equipe, enquanto dirigentes buscam imagens anteriores para comprovar a má índole do agressor e exigir uma punição severa. O Brasil inteiro se revoltou quando Zuñiga tirou Neymar da Copa de 2014. E o que os torcedores brasileiros fizeram com o colombiano, através de ofensas e ameaças, os gremistas estão repetindo em relação a William, após o Gre-Nal do último domingo.

Não gosto de falar sobre o tradicional adversário, que tem três ótimos blogs aqui no ESPN FC direcionados à torcida tricolor. A única vez que o fiz foi para contar a história do mascote dos projetos sociais do Sport Club Internacional diante do festival de ignorância que tomava conta dos microfones das rádios na época. Ignorância que voltou com tudo, após a séria lesão de Miller Bolaños, através dedeclarações irresponsáveis e inconsequentes dos dirigentes gremistas. Tá certo que nossos dirigentes, quando se manifestaram, não fizeram melhor. E eu, que exigi um posicionamento do Piffero após as declarações do Romildo, me arrependi. Mas o que estão querendo fazer com o William, jogando nas suas costas 15 anos de frustrações, é um absurdo.

Porque, no final das contas, é disso que essa revolta se trata: frustração. Frustração por colocar 50 mil torcedores nas arquibancas e ver o Inter se classificar para as semifinais da Primeira Liga dentro da Arena. Frustração por entrar em campo com time completo e não conseguir superar uma equipe repleta de guris da base colorada. Frustração por escalar os titulares, num clássico entre duas partidas da Libertadores, e perder justamente sua maior contratação para esta temporada. Nesse sentido, até entende-se a insistência em tratar William como um "criminoso". Não há revolta pelo ser humano; há, sim, umaindignação por conta do investimento altíssimo feito na contratação de Bolaños, que ficará de fora de jogos importantes do clube por conta do ato desleal do colorado.

Não, tu não leu errado. O lateral-direito colorado sentiu a aproximação do equatoriano e deixou o braço na altura do seu rosto, já esperando o choque. Na minha visão, William foi desleal no lance. Assim como foi Geromel, ao deixar o pé do joelho de Aylon. Ou, num lance ainda mais grave, Maicon, ao entrar com as travas da chuteira na perna de Rodrigo Dourado. Lances assim acontecem com mais frequência do que gostaríamos, principalmente num clássico como o Gre-Nal. Felizmente, Dourado saiu ileso. Infelizmente, Bolaños não. Obviamente, William não tinha a intenção de causar duas fraturas nas mandíbulas do colega de profissão, mas assumiu esse risco e acabou por fazê-lo. E por isso, deve ser punido. Mas não segundo a vontade dos dirigentes gremistas. Nem mesmo "de forma exemplar", como sugeriu um jornalista da capital. O colorado deve ser punido como qualquer outro atleta que tenha cometido uma falta grave dentro de campo: conforme as regras do futebol.

Roberto Vinicius/Gazeta Press
Roberto Vinicius/Gazeta Press
Felizmente, Rodrigo Dourado saiu ileso após a entrada desleal de Maicon

Comentários