Gladis Comellate Jardim



Nome: Gladis Comellate Jardim

Profissão: professora (aposentada)

Uma Palavra: amizade


Uma lembrança de infância: subir nas árvores, colher frutas e saboreá-las sentada no chão ou nos galhos das mesmas.

O que gostas de fazer nas horas vagas? Ler e tricotar

Um Livro: O monge que vendeu sua Ferrari – Robin Sharma (entre outros)

Que tipo de música toca tu gostas – Anos 70, 80 – Músicas orquestradas e tradicionalistas

Um lugar Inesquecível: Dubai

Um sonho: conhecer Machu Pichu
  
Arrepende-se de algo? Não.

Família (defina): A base de tudo
  
Amigos (defina): São pessoas especiais que surgem na nossa vida como anjos para nos auxiliarem na evolução moral, espiritual e social. São a família que escolhemos.



Uma triste lembrança: Minha mãe, falecida neste ano.

Uma pessoa que julgas incrível: Meu pai

Como é a sua ligação com o Internacional? O Internacional é o meu clube. Nasci colorada, genéticamente influenciada por meu pai. Está no meu sangue.



Um lance ou gol inesquecível:
Não tem como esquecer aqueles dois gols do Mazembe, em Abu Dabhi, lamentavelmente. Nem tanto pela derrota em si, mas pela apatia que se abateu sobre o Inter naquela ocasião.

Um ídolo no futebol: Índio

Como é a Gládis torcedora dentro do estádio, tens algum ritual?  Nenhum ritual, apenas pensamento positivo sempre.

Conta uma história que julgas interessante da tua trajetória como torcedora:
São duas histórias marcantes como torcedora, na companhia dos confrades da Tambores de Yokohama: conheci a Cidade Maravilhosa, Rio de Janeiro, em 2008 (jogo Fla X Inter) e a viagem a Dubai em 2010. Se contar as historias destas viagens, em detalhes, faltará espaço. Mas foram incríveis e inesquecíveis.


  
Participas de alguma torcida organizada, Confraria, Grupo, Fã Clube ou Consulado? Se sim, divulgue! 
Desde 2009 integro a Confraria Tambores de Yokohama, hoje no cargo de Presidente e faço parte da Diretoria Feminina da Comunicação Social desde a sua fundação em março de 2013.
A Confraria Tambores de Yokohama foi fundada por um grupo de colorados que viajou ao Japão, por ocasião da conquista do mundial e, em janeiro de 2007 passou a comemorar o título em todos os dias 17, em encontros de confraternização. Com o passar do tempo, o grupo foi aumentando e organizando excursões e eventos, sempre acompanhando e divulgando o Sport Club Internacional.

A Diretoria Feminina da Comunicação Social é formada por um grupo de 13 mulheres que, além de ações sociais, acompanham a Vice-Presidência de Comunicação Social em alguns eventos promovidos por consulados pelo interior do Estado.

Fizeste muitos amigos através do S. C. Internacional? Fala sobre eles!
Muitos e queridos amigos! Não tenho palavras para descrever a importância destes amigos. Sinto-me privilegiada por tê-los e procuro retribuir com muito carinho e atenção a todos.



Onde estavas no dia 17 de dezembro de 2006?
Em casa, trabalhando. Creio ter ficado em choque, sem atinar a importância do que estava ocorrendo. Nos dias seguintes a “ficha caiu” e a euforia tomou conta. No dia da chegada dos jogadores em Porto Alegre, levei os alunos pra Av Farrapos para aplaudi-los na passagem do carro de bombeiros.
  
O que esperas do Internacional em 2014? A taça do Brasileirão



Deixe um recado aos leitores do site / fan Page  Bar Colorado  
A Confraria Tambores de Yokohama promove excursões, churrascos antes dos jogos no Beira Rio, no Parque Gigante e no Bar do Riva quando há jogos fora, sempre de braços abertos a todos que quiserem torcer e vibrar pelo Inter.
Temos lindas camisas personalizadas, confeccionadas por empresa autorizada, produto licenciado pelo Sport Club Internacional, que se encontram à venda com integrantes da diretoria.
 Maiores informações no site WWW.tamboresdeyokohama.com.br ou no Facebook – tambores de Yokohama.


 A Diretoria Feminina está organizando para o dia 25/10 a 2ª Visita Colorada ao Estádio Beira Rio, em novembro, dia 8 a 2ª Travessia Colorada de Catamarã e no dia 22 o Seminário da Sócia Colorada. Aguardem maiores informações pelo site do Internacional.

Entrevista feita pela Luciana Lima

Comentários